Pesquisa sugere três passos infalíveis para levar mulheres ao orgasmo

Para 80% das mulheres heterossexuais e 91% das lésbicas, ápice sexual depende de três ações – e não inclui penetração

Getty ImagesGETTY IMAGES

Uma pesquisa publicada na revista Archives of Sexual Behavior sugere uma receita para aumentar as chances das mulheres chegarem ao orgasmo – e ela não inclui as vias de fato. Segundo os responsáveis pelo estudo, os dados obtidos lançam luz sobre várias lacunas do orgasmo feminino, mas sugerem que, para a maioria das mulheres, a penetração não é, necessariamente, um pré-requisito para “chegar lá”.

Para chegar a essa conclusão, estudiosos analisaram as respostas de 52 mil pessoas em uma pesquisa on-line, hospedada no site da NCB News. Os participantes tinham idades entre 18 e 65 anos e deviam estar em um relacionamento sério – heterossexual, bissexual ou homossexual.

A pesquisa constatou que apenas 35% das mulheres heterossexuais “sempre ou geralmente” têm um orgasmo durante o sexo vaginal, enquanto 44% confessou raramente ou nunca terem tido um orgasmo apenas com esse tipo de estímulo.

Por outro lado, 80% das mulheres heterossexuais e 91% das lésbicas afirmaram que o orgasmo é certo quando há estimulação genital, beijo profundo e sexo oral – mas sem penetração. Receita que os pesquisadores chamaram de “trio de ouro”.

“Cerca de 30% dos homens pensam que a relação sexual é a melhor maneira de as mulheres terem orgasmo, e isso é uma figura trágica, porque não poderia estar mais incorreta”, disse a coautora da pesquisa, Elisabeth Lloyd, professora de biologia na Universidade de Indiana.

Outra informação importante e que reforça estudos anteriores é de que mulheres heterossexuais têm orgasmos com menos frequência.

Enquanto 95% dos homens héteros afirmaram que sempre têm orgasmo quando transam, apenas 65% das mulheres com a mesma orientação compartilham a experiência. Em contraste, o número de homens gays que sempre têm orgasmos quando transam é de 89%; mulheres lésbicas, 86%; homens bissexuais, 88%; e mulheres bissexuais, 66%.

Fonte: Metrópoles

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *